shopping-bag 0
item(s) : 0
Subtotal : €0.00
Ver carrinho Finalizar Compras

Costinha diz que é preciso manter a cabeça fria e continuar a trabalhar

Na conferência de imprensa realizada no final do encontro, o treinador do Nacional, Costinha, considerou os números exagerados, até porque a sua equipa fez uma boa primeira parte.

Admitiu contudo que “15 minutos desastrosos na segunda parte” deitaram tudo a perder, pelo que a solução passa por “manter a cabeça fria e continuar a trabalhar”.

6 Comentários

  1. Sancho Rodrigues

    Sou e, até final do campeonato irei ser crítico, quer no bom como no mau!
    Infelizmente, terei de ser mau porque não se admite em parte nenhuma sofrer 9 golos em 2 jogos ( e não se atrevam em falar nos golos marcados por favor)!
    Acrescento um pormenor apenas, o qual manifesta muito:
    “Vale mais uma equipa do que um plantel!”
    Uma equipa vale pelo todo, do que pelo individual …
    Para boa interpretação….

  2. Pedro Teixeira

    Exmo. Sr. Treinador do Clube Desportivo Nacional e seus atletas,

    Ao longo de muitos anos, tive a honra de acompanhar de perto o percurso deste clube, desta instituição pública, que é o Clube Desportivo Nacional. Não sou especialista em futebol, embora já o tenha praticado ao longo de muitos anos, nem sou formado em desporto.
    No entanto, enquanto cidadão e sócio contribuinte deste clube há quase 20 anos, sinto legitimidade suficiente para relembrar-lhe alguns princípios que considero deverem pautar, e durante muitos anos pautaram, a filosofia Nacionalista.
    – Ponto fundamental: Um clube, enquanto instituição, é composto por diversos pilares, todos eles importantes. Ainda assim, o pilar fundamental do clube é a sua massa associada, ou seja, todos aqueles que financeiramente contribuem para que o clube tenha maior sustentabilidade.
    – Uma equipa de futebol profissional (incluindo toda a equipa técnica) deve ter uma atitude e postura profissional lutando sempre para dignificar e honrar a história, a imagem e os deveres do clube e da instituição.
    – Situações desportivas favoráveis devem ser encaradas com humildade e dedicação contínua e incessante.
    – Situações desportivas desfavoráveis devem sempre ser assumidas pela direcção, equipa técnica e plantel.
    Note-se que neste situação, é dever da direcção e acima de tudo da equipa técnica saber acalmar os ânimos, mantendo uma comunicação aberta e serena para com os seus adeptos. É necessário tomar decisões sóbrias e incisivas sobre os pontos a melhorar desportivamente.
    – Nunca, um treinador, perante situações desfavoráveis desportivamente, poderá ter uma atitude distante e intransigente para com a massa associativa.
    – Um percurso de sucesso jamais será pautado por situações em que num treinador afirma não ter satisfações a dar aos adeptos e não admitir a insatisfação – O treinador enquanto funcionário da instituição, tem deveres para com a instituição e para com aqueles que dela fazem parte – nós sócios, também pagamos o seu ordenado.
    – Jamais os próprios jogadores de uma equipa poderão insurgir-se para com os adeptos e deixar-se levar por ânimos exaltados – são profissionais.

    Por fim, relembro-vos que vestir um equipamento de um clube de futebol, não é menos que vestir outra farda qualquer. Honrar a instituição e garantir a sua sustentabilidade através do desempenho desportivo é a vossa missão.

    Nós adeptos do Clube Desportivo Nacional, clube de prestígio e honra do qual muito me orgulho, exigimos um pedido de desculpas perante esta situação inadmissível, e exigimos que honrem este clube dentro e fora de campo.

    Pedro Teixeira
    Sócio 1517

  3. Avelino

    O Amigo não viu o mesmo jogo que eu acabei de assistir. Imputar as culpas para atletas e técnicos e deixar impune uma arbitragem que inclinou o campo todo contra nos que demonstrou que trazia a lição bem estudada. Se não viu isto é porque estava distraído. E bonito saber perder, eu também aceito as derrotas quando é jogo pelo jogo. Pactuar com malandrices de jeito nenhum, nos devemos repulsar este arbitro, que no ano transacto nos roubou pontos. Mas hoje houve uma situação que me marcou. Todos os adeptos sabendo das razões da derrota ouvacionaram no fim do jogo a equipa com tal fervor que mais parecia que tinham ganho. São estas atitudes que confirmam o dito: Não há gente como a Gente.

    1. Pedro Teixeira

      Meu caro, o meu comentário não fala em jogo absolutamente nenhum. Lamento que não tenha capacidade de compreensão suficiente para interpretar um comentário.
      O meu comentário é somente acerta da atitude geral dos jogadores/ equipa técnica perante a situação desportiva atual.

      Em relação ao seu comentário, não há muito a dizer, pois o conteúdo é completamente desenquadrado tanto do meu comentário como daquilo que todos temos visto nos últimos jogos do nacional.

      PS: O árbitro de hoje também teve influencia nas últimas duas derrotas, uma das quais em que sofremos 5 golos do último classificado -Sp. Braga B?

      Uma boa noite.

  4. Avelino

    Sr. Pedro Teixeira, tem muita razão quando diz que não comentou nenhum jogo. Pois o comentário que fez, eu nem perderia o meu tempo para lhe responder, pois acho que faz insunuizacoes destrutivas, que não não abonam em nada a situação actual da nossa equipa. No momento devemos moralizar a equipe. Destruir, não é dum Nacionalista. Mas queria lhe informar do seguinte. O comentário que fiz foi Em resposta ao Sr. Sancho Rodrigues. Mas por qualquer razão o seu comentário entrou primeiro. Portanto só li seu muito depois.

Deixe um comentário