shopping-bag 0
item(s) : 0
Subtotal : 0.00
Ver carrinho Finalizar Compras

Futebol de praia inicia participação na Liga dos Campeões

Arranca esta sexta-feira, dia 25 de maio, a pré eliminatória da Liga dos Campeões de Futebol de Praia, na praia da Nazaré, e vai ter a presença de uma equipa madeirense: o Clube Desportivo Nacional.

Nesta competição que terá a duração de três dias, estão inseridas 32 equipas, divididas por 8 grupos de 4 equipas. Qualificam-se para a Fase de Grupos da Liga dos Campeões, as equipas que vencerem o seu grupo e o 2º melhor de todos os grupos.

O CD Nacional está inserido no grupo A juntamente com os espanhóis do Playas de Mazarrón, os moldavos do CS Olimpia-Stels e os portugueses do GDP Costa da Caparica. Refira-se que o Nacional foi cabeça de série, fruto de ter sido a única equipa portuguesa na edição do ano passado a qualificar-se para a Fase de Grupos da Liga dos Campeões.

Com vista à participação na pré eliminatória da Liga dos Campeões e na 1ª divisão da Liga Portuguesa (que arranca no dia 9 de junho), os “alvi-negros”, já este ano, participaram na Liga de Inverno (de fevereiro a abril), na Sesimbra Cup (abril) e no Figueira Foz Cup (maio). Além destas torneios, o Nacional efetuou recentemente um estágio em Ansião e na Nazaré, para que a equipa, orientada por João Carlos Delgado, consiga alcançar a sua 2ª presença na Liga dos Campeões de Futebol de Praia.

A nível de jogadores, a equipa do Nacional sofreu grandes alterações com as saídas de 9 jogadores (Francisco Ferreira, Rui Delgado, Pablo Pérez, Tiago Batalha, Domi Acosta, Joaquin Saura, Marco Resende, Sérgio Rodrigues e João Carlos Delgado), a entrada, até ao momento, de seis jogadores (Rui Oliveira, Tiago Castelo, Diogo Ribeiro, Marquinhos Gomes, Sabrinio Dhaouadi e Vasco Ribeiro) e ainda a alteração da equipa técnica, com a saída do treinador Pedro Queijeira para a entrada do ex-guarda redes João Carlos Delgado. A equipa técnica é ainda constituída pelo Daniel Silvestre e Nuno Soares.

Para a presente época desportiva, o plantel do Nacional apresenta 5 madeirenses: Diogo Ferreira, André Jasmins, Luís Jasmins, João Jasmins e Pedro Vasconcelos. Destaque para o facto de que, Diogo, André, João e Pedro, fazem a sua 8º época consecutiva ao serviço do Nacional. Desde 2011, altura em que a equipa foi criada, estes quatro jogadores estiveram sempre presentes em todas as edições do campeonato de Portugal e nos diversos torneios internacionais.

João Jasmins garante que objetivos mantém-se intatos

Apesar da reformulação do plantel, os objetivos do Nacional mantém-se intatos face ao ano passado. João Jasmins, capitão da equipa do Nacional, explica que “cada ano que passa temos vindo a ter mais dificuldade em criar e montar um plantel competitivo fruto dos orçamentos que os nossos adversários apresentam. Este ano esta situação agravou-se ainda mais, em que por exemplo, tivemos 3 a 4 jogadores a sair para uma equipa da segunda divisão que consegue pagar ordenados aos jogadores. No Nacional nenhum treinador nem nenhum jogador recebe qualquer valor para treinar ou jogar. Joga por amor ao clube e à modalidade. Os patrocínios que recolhemos é exclusivamente para pagar todas as inscrições nos torneios, deslocações para os torneios e jogos e material desportivo. Este ano temos a sorte de ter a Petfield como patrocinador oficial para a modalidade. Esta foi a filosofia desde a abertura da modalidade e não vamos alterar. E foi com esta filosofia que já fomos tricampeões nos EUA, já alcançamos um terceiro lugar na 1ª divisão e fomos a única equipa portuguesa ao ano passado a qualificar-se para a Fase de Grupos da Liga dos Campeões através da fase de pré-eliminatória. E para esta época, queremos voltar a estar na Liga dos Campeões e queremos alcançar o pódio na 1ª divisão do campeonato nacional”.

Plantel com muita qualidade

O Nacional tem sido frequentemente representado por Pedro Vasconcelos Silva na Seleção Nacional. Para o capitão do Nacional, “o Pedro está no top 10 de Portugal. É um jogador fantástico. Temos a sorte de podermos contar com o seu contributo.”. Confrontado com o facto que se existiam mais jogadores com qualidade para estarem na seleção, João Jasmins menciona que “não vou questionar as decisões do Selecionador Nacional. É talvez o selecionador mais importante na história do futebol de praia nacional. Mas tenho a certeza que existe qualidade nesta equipa para termos mais presença nos lotes de convocados. Alcançamos a Final Four ao ano passado e disputamos a mesma, com onze jogadores portugueses (num total de doze)…. é sinal de qualidade. Muita qualidade.”.

Deixe um comentário