shopping-bag 0
item(s) : 0
Subtotal : €0.00
Ver carrinho Finalizar Compras

História

primeir 11

1908

“Campo do Brás”

Foi neste campo que os fundadores do Clube tiveram o primeiro contacto com o futebol. Nesta altura, apenas a comunidade inglesa residente na região praticava esta modalidade.

 


 

1909

Organização do Grupo dos “Miúdos”

Nesta altura, devido ao grande interesse que o futebol despertou na comunidade local, um conjunto de rapazes resolveram formar um grupo para praticarem esta recente modalidade desportiva.

 


 

1910

Constituição do Nacional Sport Grupo

Foi no dia 8 de Dezembro de 1910, após uma jogo, Antonino Figueira apresentou a ideia da criação do Nacional Sport Grupo. Nesta reunião ficou também decidido que o “(…) uniforme passaria branco e preto no formato das camisolas do Club Sport da Madeira.” (Figueira, Antonino; Retalhos da História do Nacional).

 


 

1916

Grupo Desportivo Nacional

Neste ano, o então Nacional Sport Grupo passa a denominar-se Grupo Desportivo Nacional. Devido à sua maturidade e qualidade do seu plantel, o Nacional passa a integrar as provas de competição.

 


 

1922

Clube Desportivo Nacional

Neste ano, o clube assiste à sua última alteração de denominação, a partir desse momento passa a chamar-se Clube Desportivo Nacional. Nesse mesmo ano, a equipa de futebol nacionalista atinge uma posição destaque nas competições regionais.

 


 

1923

Primeira Equipa de Infantis

Devido ao seu espírito inovador e como forma de assegurar a continuidade do clube, os dirigentes resolvem criar uma equipa de infantis. Com esta decisão , o Nacional, passou a ser o primeiro clube madeirense a ter uma equipa de infantis.

 


 

1925

Início da Construção do Stadium dos Barreiros

Após muitos contratempos e adversidades dá-se início à construção do Stadium dos Barreiros. Com esta obra, o Nacional, passava do sonho à realidade, uma aspiração de muitos madeirense, em possuírem um estádio de futebol na região.

 


 

1926

Primeiro Campeonato da Madeira em Futebol

Em Dezembro, decorreu o primeiro Campeonato da Madeira em Futebol. Com o terrível naufrágio do “Phisali”, o campeonato é suspenso.

 


 

1927

Vitória sobre o actual Campeão Nacional

Em Fevereiro desse ano, o Campeonato recomeçou. No primeiro jogo, o Nacional venceu o Club Sport Marítimo (Campeão Nacional à data) por cinco a dois. Em Abril, por decreto do Governo da República, o clube passa a ser considerado “INSTITUIÇÃO DE UTILIDADE PÚBLICA”. Em Junho é feita a inauguração oficial dos Stadium dos Barreiros com o jogo entre o Nacional e o Vitória de Setúbal (esta equipa era considerada como uma das melhores a nível nacional), tendo se verificado um empate a zero bolas.

 


 

1927

Estádio dos Barreiros

inauguração barreiros cdn

Desde o início do século XX, uma importante parte dos Madeirenses sentiu a necessidade da região possuir um estádio polivalente pois, modalidades como o futebol, atletismo e outras, passaram a ter um papel importe na sociedade madeirense do início do século. O Nacional, em 1920 oficializa a intenção de construir um estádio, que não só servisse para a prática do futebol mas também para outras modalidades. Após uma procura exaustiva de terrenos que permitissem a construção de um estádio de média dimensão, foram seleccionados três possíveis localizações, um na Rua Nova da Alegria, o outro junto à Levada de Santa Luzia, e o terceiro perto da Estrada Monumental. Devido às facilidades que o proprietário do terreno ofereceu, e como o Clube tinha as suas raízes nesta zona, ficou decido que o estádio seria junto à Estrada Monumental. Por volta de 1923, deu-se início à arrecadação de fundos, e com as facilidades dadas pelo proprietário, em curto espaço de tempo a obra teve início. Como a obra obteve diversos apoios, devido ao cariz sócio-desportivo, foi concluída dentro do período esperado, apesar dos diversos entraves que surgiram. A sua inauguração teve lugar no dia 26 de Julho de 1927 na presença dos mais altos dignatários da sociedade madeirense.

 


 

1934 – 1945

Campeão da Madeira

Durante este período, o clube alcançou os melhores resultados futebolísticos, permitindo assim consagrar-se Campeão da Madeira em três épocas seguidas. Em 1934-35, estreou-se no Campeonato de Portugal, em representação da Madeira.

 


 

1941

Associação de Futebol do Funchal

O clube participou ativamente na fundação da Associação de Futebol do Funchal.

 


 

1947

Campeões de Natação

Dois dos seus atletas de natação, Vasco de Abreu e José da Silva “Saca”, conquistaram os títulos de “Campeão Nacional” e de “Recordista Absoluto de Portugal”. Neste ano participa no Campeonato Nacional de Voleibol tendo se destacado pela superioridade da sua equipa.

 


 

1956

Volta à Cidade do Funchal

Em colaboração com o Jornal da Madeira, o Nacional promove a Volta à Cidade do Funchal. Anos mais tarde, esta prova passa a fazer parte do cartaz das “Festas da Cidade”.

 


 

1974

Emissão do “Tempo Desportivo”

No dia 1 de Dezembro é emitido, pela primeira vez, o programa radiofónico do Nacional, denominado “Tempo Desportivo”.

 


 

1975 1976

Ingresso nos Campeonatos Nacionais

Após a conquista do Campeonato da Madeira, o Nacional passa a integrar os Nacionais de Futebol da Terceira Divisão.

 


 

1977 – 1978

Passagem à Segunda Divisão

Nesta época, o Nacional ascende à Segunda Divisão.

 


 

1985 – 1986

Passagem à 2º Divisão do Campeonato Nacional de Voleibol

Neste ano desportivo, o clube passa a fazer parte da Segunda Divisão do Campeonato Nacional de Voleibol.

 


 

1986 – 1987

Passagem à 1º Divisão do Campeonato Nacional de Voleibol

Após uma época excelente, passa para o escalão maior do Campeonato Nacional de Voleibol.

 


 

1987 – 1988

Subida a Primeira Divisão

Graças a uma campanha de bom nível na Zona Sul do Campeonato Nacional da 2ª Divisão, onde foi segundo classificado, a apenas um ponto do campeão. Ficava assim assegura.da a histórica promoção à Primeira Divisão Nacional de futebol

 


 

1988 – 1989

Estreia no Campeonato Nacional da I Divisão

Nesta época o Clube Desportivo Nacional estrou-se no Campeonato Nacional da I Divisão, tendo se classificado na 10ª posição desta competição, com 36 pontos, garantindo assim a manutenção na divisão maior do futebol português.

 


 

1989 – 1990

Campeonato Nacional da I Divisão

Neste ano desportivo, pese embora as dificuldades, o Clube Desportivo Nacional conseguiu manter-se entre os maiores clubes portugueses, tendo ocupado a 14ª posição do Campeonato Nacional da I Divisão, com 28 pontos conquistados.

 


 

1990 – 1991

Regresso ao Campeonato Nacional da Segunda Divisão

Uma época cheia de azares redundou na despromoção e no consequente regresso a uma divisão inferior do futebol português, denominada na época como Divisão de Honra. Dava-se assim início a uma ‘travessia do deserto’ onde o objetivo passava por voltar o mais depressa possível ao topo do futebol português.

 


 

1994 – 1995

Campeonato Nacional da Segunda Divisão

O Clube Desportivo Nacional não conseguiu manter-se na Divisão de Honra, pese embora o número de pontos ter sido o mesmo da época anterior ( 32 ), ficando na 18ª posição do Campeonato, vendo assim relegado para uma Divisão inferior, a II Divisão B.

 


 

1996 – 1997

Campeonato Nacional da Segunda Divisão B

O Clube Desportivo Nacional disputou o Campeonato Nacional da II Divisão B, e de uma forma brilhante diga-se, pois conseguiu atingir o 1º lugar, com 78 pontos, regressando assim à Divisão de Honra.

 


 

1997 – 1998

Campeonato Nacional da Segunda Divisão

Foi o ano de regresso à Segunda Divisão B, pois, devido à 18ª posição final , com um total de 27 pontos conquistados, o Clube Desportivo Nacional, desceu novamente de divisão. Um passo atrás para finalmente dar outros dois para a frente.

 


 

1999 – 2000

Subida a Segunda Liga

Este acabou por ser o ‘ano zero’ do projeto desportivo do futebol sénior do clube. Sob a orientação técnica de José Peseiro deu-se início a um ciclo altamente vitorioso, bem expresso na pontuação obtida: 83 pontos, classificando-se no 1º lugar do Campeonato Nacional da II Divisão “B”, regressando à Divisão de Honra, que passou na altura a ter a denominação de II Liga.

 


 

2001 – 2002

Finalmente o regresso à Primeira Liga

subida i liga

Este foi o ano do regresso à ribalta do futebol português. Depois de um ano de estabilização no 2º escalão, o Clube Desportivo Nacional voltava ao convívio dos grandes clubes portugueses, pois ao classificar-se em 3º lugar da II Liga, com 62 pontos, subia por mérito próprio à I Liga do futebol português.

 


 

2002 – 2003

Super Liga

De regresso ao patamar do futebol português, o Nacional conquistou brilhantemente o 11.º lugar deste campeonato. A vitória no derbi disputado em casa alheia (3-2 no Estádio dos Barreiros) acabou por ser o prenúncio dos sucessos futuros do melhor clube madeirense do século XXI.

 


 

2003 – 2004

Classificação do CD NACIONAL no 4º Lugar na Superliga

Com Casemiro Mior a render José Peseiro no comando técnico, melhor posição de sempre do Nacional e de uma equipa madeirense na principal competição nacional de futebol. Foi a equipa com melhor ataque em casa. Foi a equipa madeirense com mais pontos conquistados na Superliga: 56. Adriano segundo melhor marcador da Superliga com 19 golos. O quarto lugar valeu a inédita qualificação para a TAÇA UEFA. A 25 de abril consuma-se a qualificação europeia. A primeira de muitas.

 


 

16 de Setembro de 2004

Estreia na Taça UEFA

primeira equipa na UEFA

Estreia do C.D. Nacional nos grandes palcos europeus em jogo relativo à primeira mão da primeira eliminatória da Taça UEFA a jogar contra uma equipa da capital da Andaluzia, o Sevilha FC. Apesar da boa réplica, a maior experiência da formação espanhola foi decisiva para o 2-0 final.

 


 

30 de Setembro 2004

1º jogo em casa para a Taça UEFA

Em jogo relativo à segunda mão da primeira eliminatória da Taça UEFA o C.D. NACIONAL jogou o primeiro encontro em casa para a referida competição. A desvantagem de dois golos trazida de Sevilha acabou por ser fatal. A equipa deu uma boa resposta, Adriano marcou o golo que ainda deu alguma esperança, mas o 2-1 final acabou por ditar a eliminação.

 


 

2005 – 2006

Segunda Qualificação do C.D. NACIONAL para a Taça UEFA

Num dos momentos de maior crescimento desportivo do clube, pela segunda vez na sua história, consegue uma Qualificação para participar na Taça UEFA, ao classificar-se em 5º lugar do campeonato, com 52 pontos conquistados. Manuel Machado conseguia aí a sua primeira qualificação europeia como treinador do Nacional.

 


 

2006/07

Segunda participação europeia e estreia dos juniores na I Divisão Nacional

Sob a orientação de Carlos Brito, a equipa sénior de futebol marcou presença pela segunda vez na sua história na Taça UEFA, defrontando o Rapid de Bucareste. Depois da derrota 1-0 na Roménia, no jogo da segunda mão, no Estádio dos Barreiros, o golo de Juliano levou o jogo para prolongamento. Os romenos foram contudo mais felizes e acabaram ganhando por 2-1. Na Liga, a equipa acabou por ficar em oitavo lugar, a apenas dois pontos do sexto.
A temporada ficou ainda marcada pela estreia da equipa de juniores no Campeonato Nacional da I Divisão, sob a orientação de Predrag Jokanovic. Um honroso 7º lugar entre 16 equipas foi a classificação final.

 


 

2007 – 16 de novembro

Inauguração da Cidade Desportiva

INAUGURACAO CIDADE DESPORTIVA

Foi mais uma data histórica na vida do nosso clube, com a inauguração oficial da Cidade Desportiva. Uma grande festa que teve início pelas 12h00, com a partida da “Chama Nacionalista” partir do Estádio dos Barreiros, primeiro estádio de futebol construído na Região pelo clube, com destino ao Estádio da Madeira, passando por vários locais que fazem parte da História do Nacional. A cerimónia de Inauguração teve momentos marcantes, encerrando com um jogo entre as equipas de futebol profissional do C.D. Nacional e do S.L. Benfica e um espetáculo piro-musical.

 


 

2009

Quarto lugar… outra vez e terceiro apuramento para as competições europeias

Com o final da edição 2008/2009 da competição, a equipa de futebol profissional do C.D. Nacional conquistou pela segunda vez na sua história o 4.º lugar na 1ª Liga Portuguesa de futebol, e igualou o feito alcançado na temporada 2003/2004. Mas além de igualar este sensacional lugar na tabela classificativa (melhor classificação de sempre de uma equipa madeirense) no principal campeonato português, o Nacional garantiu o seu terceiro apuramento para as competições europeias, sendo o único representante da Região Autónoma da Madeira na Liga Europa 2009/10. Manuel Machado foi o treinador do sucesso.

 

Nenê primeiro jogador de uma equipa da Região a ser melhor marcador da Liga

nene2

Com 20 golos marcados na prova, o avançado brasileiro do Nacional, Nenê recebeu ainda o troféu “Bola de Prata”, de melhor marcador da I Liga. O troféu foi entregue pelas mãos do Director do Jornal desportivo “A Bola” numa cerimónia realizada no Funchal.

 

Primeira equipa da Madeira na Fase de Grupos da Liga Europa

O C.D. Nacional conquistou a 27 de agosto um feito histórico ao conseguir o apuramento para a fase de grupos da Liga Europa 2009/2010, após eliminar os russos do Zenit São Petersburgo, no “play-off” desta competição.
Na sua terceira participação em competições europeias, o sorteio ditou que o Nacional teria que defrontar um gigante do futebol que recentemente tinha vencido a Taça UEFA e a Supertaça Europeia.
No jogo da 1ª mão, a 20 de Agosto, o C.D. Nacional mostrou o seu bom futebol e venceu de forma fantástica o Zenit, por 4-3, no Estádio da Madeira.
Uma semana depois, no difícil reduto dos russos, os nacionalistas voltaram a surpreender a europa do futebol ao eliminar esta equipa onde actuam os internacionais portugueses Danny e Fernando Meira. Graças ao golo de Ruben Micael, o empate a uma bola, perante um repleto e barulhento Estádio Petrovsky, permitiu ao C.D. Nacional escrever mais uma bela página na sua quase centenária história.

 

O Nacional alinhou do seguinte modo:
Rafael Bracalli, Patacas, Felipe Lopes, Rafik Halliche, Wellington, Cléber, Luís Alberto, Pecnik, Rúben Micael, João Aurélio e Leandro Salino.
Suplentes: Douglas, Adbou, Tomasevic e Nuno Pinto.
Treinador: Manuel Machado.

 


 

2010 – 8 de dezembro

Cem anos de existência

Sete centenas de pessoas encheram completamente o Pestana Casino Park na noite de 8 de dezembro de 2010 para comemorar o Centenário do Clube Desportivo Nacional, num jantar de Gala que se assumiu como o ponto alto de um vasto programa comemorativo e que teve uma Comissão de Honra de grande valia: dr. Alberto João Jardim, professor Doutor Paquete de Oliveira, Comendador Horácio Roque, Dionísio Pestana e Cristiano Ronaldo.
Do programa comemorativo fez ainda parte o lançamento ‘Álbum do Centenário’, uma obra feita por nacionalistas para contar a toda a gente o que foram os cem anos de história de um clube cuja vida se confunde com a vida de uma Região, de um país.
O Cine-Fórum ‘Desporto e Globalização’ foi outro dos momentos marcantes do programa comemorativo do Centenário, que teve como primeiro ato o bailado do bailado ‘Lago dos Cisnes’, protagonizado pela Moscow Tchaikovsky Ballet, acompanhada pela Orquestra Clássica da Madeira e que esgotou a lotação na sala de espectáculos do Centro de Congressos da Madeira
.

 


 

2011

Quarta participação europeia confirmada

Graças à vitória por 2-0 em Aveiro, a equipa sénior de futebol do C.D. Nacional, sob a orientação de Ivo Vieira, garantia a sua quarta qualificação para as competições europeias de futebol, terminando no sexto lugar no campeonato.
No percurso rumo à Fase de Grupos, Hafnafjordur (Islândia), Hacken (Suécia) foram sucessivamente afastados pelo Nacional, que acabou eliminado no play-off ao perder diante do Birmingham (Inglaterra).

Funchal, 28/07/2011 - Nacional da Madeira recebeu esta noite no Estádio da Madeira o BK Hacken, da Suécia 3ª Ronda Qualificação Liga Europa Maior enchente da Choupana Helder Santos / Aspress

Mesmo assim, nota muito positiva para a participação alvi-negra, cujos jogos em casa bateram todos os recordes de assistência no Estádio da Madeira.

 


 

2012

Vitória histórica no mítico Ramon Carranza

A equipa sénior de futebol do Clube Desportivo NACIONAL conquistou a edição 2012 do prestigiado Troféu Ramon Carranza, ao vencer na final o Rayo Vallecano, por 3-1. Para chegar à final tinha eliminado o Ossassuna (2-1).
Este foi um feito histórico não só para o C.D. Nacional, mas também para a Região Autónoma da Madeira e para o futebol português.
O C.D. Nacional foi o segundo clube português a vencer este prestigiado troféu. Em edições anteriores, apenas o S.L. Benfica tinha conseguido inscrever o seu nome no lote de campeões do “Carranza”.

 

Juniores na luta pelo título Nacional da 1ª Divisão

n_juniores festa do golo(6)

Com uma campanha brilhante, a equipa de juniores do Nacional é a primeira formação da Região a lutar pelo título Nacional da categoria nos novos moldes da competição.
Terminou o campeonato em 5º lugar, assinalando mais um marco histórico.

Futebol de praia campeão nos EUA

A equipa de Futebol de Praia do Clube Desportivo Nacional fez também história, ao sagrar-se vencedora do COOP US Open West, evento que decorreu em Oceanside, Califórnia, assumindo-se como grande embaixador da Região e do País num dos mais prestigiantes torneios internacionais. João Jasmins foi eleito o melhor jogador da prova.

 


 

2013

Futebol de praia bi-campeão

A equipa de Futebol de Praia do Clube Desportivo NACIONAL conquistou o bi-campeonato no Beach Soccer Coop, ao vencer na final, por 4-1, o Shoreline BSC.
João Carlos Delgado foi considerado o melhor guarda-redes da competiçao e João Jasmins foi eleito o melhor jogador da competição.

 

Equipa sénior vence Torneio no Brasil

n_Tacaalagoas

Terminado o campeonato, a equipa sénior de futebol seguiu até ao Brasil, como convidada de honra do Troféu José Aprígio Brandão Vilela. A partida, disputada no Estádio Rei Pelé, em Alagoas, terminou com vitória alvi-negra por 3-2, o que valeu a conquista do troféu.

 


 

2014

Quinta participação europeia

Pela quinta vez no seu historial, o Nacional garante o apuramento para as competições europeias. Manuel Machado volta a liderar a equipa na rota do sucesso europeu, com o 5º lugar na Liga a garantir a qualificação direta para o play-off da Liga Europa. O sorteio colocou no caminho os bielorussos do Dínamo de Minsk, com o primeiro jogo a ser disputado fora. A derrota por 2-0 acabou por ser fatal.

Futebol de Praia conquista o tri

n nacional no podio

A equipa de futebol de praia do Nacional sagrou-se, pelo terceiro ano consecutivo, vencedora do The Beach Soccer Championships, em Oceanside, nos Estados Unidos, com Lúcio Carmo a ser considerado o MVP. A nível nacional, excelente prestação no CAmpeonato Nacional, bem ilustrada pelo terceiro lugar final.